A antiga Pandemia de Pandeleiros.


Esta cena ainda não acabou. Não se tem pena nem panico, tem-se cuidado em limitar a progressão simplesmente pela necessidade de simplificação e uma postura sustentável sobre o equilibrio do nosso planeta.
Sabe-se que partiu de um só homem, que ou comeu, ou tocou ou fodeu um macaco... e quando se deu por ela já estava a viver com pelo menos 40 milhões de pessoas.
A coisa é: podemos estar apaixonados ao ponto de queres experimentar várias coisas; a relação sem preservativo, o swing, o sexo casual, a partilha do "fungo", contudo a única coisa que temos de pensar não é em nós, mas sim nas 40 milhões mais que podemos infectar...
O HIV é uma grande orgia onde dormem amigos meus, gente de Nelson Mandela, Rock Hudson, Freddy Mercury, Herb Ritts, Robert Mapplethorpe, Magic Johnson, Michel Foucault, etc, etc, etc,etc,etc.... O vírus mutante será sempre o mesmo.
O facto de a esperança de vida ter aumentado aproximando-se da de quem não é positivo cria uma sensação de falsa segurança.
Os paneleiros andam em panico desde os anos 80, usando e cuidando-se há mais tempo. Depois os homens casados esses ainda partilham vírus com as suas companheiras, mas não partilham a verdade.
As esposas, vivem numa ignorância até a uma mancha, um corte ou outro problema de saúde. As solteiras confiam, vivem e não ficam grávidas com a pilula.

MENINAS: É FODER COM PRESERVATIVO SE FAZ FAVOR, NÃO QUE ME PREOCUPE COM A VOSSA ESPERANÇA DE VIDA, MAS PORQUE ME PREOCUPO COM O ERRADICAR DESTA PANDEMIA.

Temos associações nacionais que trabalham com este tema, mas sinceramente a solução não passa por campanhas bonitas esporádicas, passa pela sensibilização numa de marketing relacional, promovendo o entendimento da dimensão global desta epidemia.

A solução já passou pela Abstinência, Fidelidade e pelo uso do Preservativo, mas mais do que isso passa pela responsabilidade.
Responsabilidade por parte de quem não tem o virus e de quem tem. Tendo ambos a mesma obrigação na comunicação ou preservação em realação ao virus.

Ser Portuga é achar que vamos ajudar outros que não nós mesmos.

1 comentário:

Tina de Portugal disse...

Papá, que saudades de te ligar bebada as 7 da manha a perguntar se podia estar infectada por um namorado de um portador terem bebido da palhinha da minha vodka :) nao, nao sou ignorante ou preconceitosa, sou so uma bebada hipocondriaca...